Depois das Alianças, o que fazer?

Você deu o grande passo. Fez o pedido de casamento e deu fim à angústia de sua amada que vivia em um incansável e cansativo questionamento: “Para onde este relacionamento está indo?”. Anel de noivado e alianças comprados, intenções sérias com a filhinha do coração do seu sogro devidamente assumidas. Pronto. Que venha o casório, missão cumprida! Missão cumprida? Nem perto disso. Você deu o grande passo. Mas foi apenas o primeiro e está bem longe do último.

poesie-anel-noivado

Quando finalmente acontece o pedido de casamento, a noiva precisa de algum tempo para processar a informação de que vai casar, mas é possível que no caminho de volta para casa, logo após o pedido, ela já esteja procurando o salão de festas, o cerimonial, o buffet, etc. E aí o primeiro parágrafo continua sem fazer sentido para você, afinal, ela já não vai cuidar de tudo? Não necessariamente, mas pode até ser, noivo. A pergunta é: e quem vai cuidar dela?

Feito o pedido, ocorrem então, o noivado e o preparo do casamento, simultaneamente. É o período compreendido entre aliança na mão direita e aliança na mão esquerda. Somando a emoção de casar ao estresse de planejar um casamento, há uma grande possibilidade de que, nessa fase, sua noiva assuma uma personalidade jamais vista durante o namoro. Contudo, acalme-se: (a princípio) essa “nova pessoa” tem data marcada para sumir – o dia seguinte ao da cerimônia – e também não é nada que possa fazer com que você se arrependa do pedido de casamento.

Um dia ela acorda namorada e vai dormir noiva, nada do que foi será do jeito que já foi um dia. Festas viram uma fonte de inspiração ou críticas, ela vai se informar sobre os fornecedores e olhar desde a decoração às lembrancinhas. Casamentos então, esses sim nunca mais serão os mesmos. Se ela pedir licença para retocar a maquiagem e demorar demais, esteja certo de que está buscando informações para alimentar o banco de dados do casamento de vocês. Ela terá menos tempo do que de costume para se dedicar ao relacionamento, você vai dividi-la com reuniões, testes, provas, pesquisas, muitas pesquisas. Até as temíveis “discussões de relacionamento” podem ser substituídas por “discussões de bolo/docinhos/lista de convidados”, caso ela decida que você deva participar dessas decisões.

A maioria das noivas organiza toda e cada parte sozinha, delegando o mínimo de funções possível a pessoas escolhidas a dedo, já que prefere que tudo passe pelo seu crivo antes de poder fazer parte do seu dia especial. O casamento passou a fazer parte da sua vida desde o dia em que você fez o pedido, enquanto para sua noiva, é um sonho que data desde quando ela consegue se lembrar. Se não fosse a convenção social e a tradição da aliança e do anel de noivado permanecerem nos dedos, certamente ela faria um altar para venerá-los.

Parece um tanto assustador que a mulher da sua vida vire temporariamente uma máquina, produzindo praticamente 24 horas por dia, mas até o mais moderno e eficiente dos equipamentos precisa de manutenção. Caso fique acertado entre o casal que ela é quem vai comandar o show, aceite seu importante papel e seja compreensivo com o inevitável cansaço, atencioso quando ela pedir sua opinião e atento às instruções que ela der – evite dar mais trabalho. Jamais se acomode justamente pelo fato de ela ter tomado a frente dos preparativos, maneire nas cobranças e, sempre que ela tiver um tempo livre, planeje algo especial a dois. Um sopro de ar fresco nessa correria toda.

Vocês agora usam alianças, são aliados, comprometidos um com o outro. Os problemas e responsabilidades são dos dois. Não se sinta como coadjuvante do seu próprio casamento, ora, quem é que fez o pedido e deu início a tudo isso? A mão dela estaria sem aquela bela aliança se você não tivesse tomado a iniciativa. Apenas entenda que mulheres e casamento têm um relacionamento íntimo e antigo. Contudo, há sim espaço para sua atuação pois, com exceção do vestido, você poderá ajudá-la a definir muitas coisas (caso ela deseje sua ajuda). Saia já do Google, noivo, você não precisa aprender a diferenciar uma tulipa de uma flor do campo, para então analisar quais arranjos ficarão melhor no centro de mesa – complicou, né? Se ela pedir sua opinião, apenas dê atenção de verdade, e não o vazio “uhum, seu vestido é lindo, zzzzz…”. Sabe aquele? Quando ela está na décima oitava troca de roupa sem conseguir decidir o que usar enquanto você a espera para saírem? Então. Abandone-o.

O simples fato de entrar de cabeça com ela nessa empreitada vai fazer com que você seja muito mais do que o executor do pedido de casamento ou fornecedor das alianças. Durmam, acordem e respirem todo esse processo juntos e tudo vai correr bem no grande dia (desde que corra do jeitinho que ela planejou).

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Compartilhe com um amigo